terça-feira, 22 de junho de 2010



Hoje toquei em tua memória. O som do meu piano facilmente transmitia o porquê de eu ter tocado aquela triste música. Denunciou-me.

Nunca irei lidar com a morte.

1 comentário:

Antonio Branco disse...

somos seres viventes.
como tal, não entendemos a ausência de vida.
e como tal, temos muita dificuldade em nos relacionar com a ausência dela em algo que antes a detinha.
porque não há vida sem morte, nem morte sem vida, somos incompletos no medo de a aceitar...
como o somos no medo de aceitar outros desconhecimentos...