domingo, 13 de novembro de 2011


Oh pai...As tuas próprias mentiras vão te enforcar.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011


Não te queria... mas no entanto preciso de ti cada vez mais, todos os dias; aproximas-me de ti de um modo...; não sei no que te estás a tornar, no que te faz puxar-me tanto para ti mas o certo é que eu tenho caminhado na tua direcção ainda com um passo atrás, ainda medonha e a tremer pelo dia de amanhã ou até mesmo pela próxima hora; o certo é que ás vezes me vou abaixo se páras por um segundo que seja de o fazer.
sinto-me insegura.
metes os meus dias melhores, metes o sorriso na cara que tanto precisava, fazes-me ter vontade de me levantar ao ler simples palavras; fazes com que sonhe com a tua presença; metes-me estupidamente perdida por gestos que revelas diferentes e palavras aparentemente perfeitas para mim.
não quero que isto mude! e se mudar que seja para melhor...

domingo, 6 de novembro de 2011


Deus escreveu direito nas "nossas" linhas, que se não fossem tão tortas, não se teriam cruzado...

Mas não vou planejar nada. não vou fazer como das outras vezes em que planejei demais e no final só tive decepções, vou deixar acontecer, não vou me forçar a sentir demais, vou simplesmente deixar-me sentir, vou te encher de coisas simples, nada de exagero, vou levar te pra lugares simples porém lindos que só eu conheço, deixar toda essa preocupação de lado, só eu e tu como sempre planejamos um dia, se estiver com vontade de enrolar-me contigo num canto, não vou me preocupar com isso também. e se não der certo? Não te preocupes, a tentaremos novamente.